Esse tal de código genético

Não quero me tornar um Diogo Mainardi para um Lula, ou a Inquisição para os pagãos, quero que o jornalismo seja fiel à verdade. Estou atento.
Lendo o jornal outro dia, deparei-me com a crítica (positiva) de uma biografia feita por um jornalista e zoólogo sobre um dos descobridores da estrutura do DNA: "Francis Crick, Discoverer of the Genetic Code", ou seja, "Francis Crick, o descobridor do Código Genético". Meu Deus do céu! Não foi isso que ele fez!
O que é código genético?
Outro dia percebi algo estranho no texto da revista Veja. Usavam "código genético" com a intenção de usar na verdade "material genético". De posse de meu orgulho ferido, escrevi-lhes um correio eletrônico. E obtive resposta!

Prezado Marcello Vieira Lasneaux,

Em primeiro lugar, gostaríamos de pedir desculpas pela demora em responder seu e-mail. Em segundo lugar, gostaríamos de dizer que, apesar de não ser tecnicamente perfeito, o termo "código genético" se convencionou na imprensa não especializada como uma das possíveis referências para "material genético", não estando seu uso restrito à revista VEJA. Dessa forma, esse termo cumpre sua função que é a de informar o leitor comum. No mais, agradecemos seu comentário e o levaremos em conta nas próximas matérias.
Atenciosamente,
Rafael Corrêa

Revista VEJA

Adorei ser reconhecido pela Veja! Ganhei meu dia. Foi ótimo para o meu ego. Vou guardar esse correio eletrônico para sempre!
A verdade, no entanto, é outra. Observe o item abaixo extraído do segundo vestibular da UnB de 2003.

Texto II - questões 5 e 6

Poucas moléculas cativaram o homem tanto quanto o DNA um tipo de ácido nucléico. Ela encantou cientistas, inspirou artista e provocou mudanças na sociedade. Ela é, em todos os sentidos, um ícone moderno. Um dos principais momentos para as pesquisa acerca dessa molécula foi a descrição de sua estrutura há cinqüenta anos.
O conhecimento advindo a partir dessa descrição possibilitou grandes modificações na forma de se ver a vida e a reprodução representando um novo salto na história da humanidade depois de Pasteur. Festividades múltiplas estão ocorrendo em todos os continentes este ano em comemoração aos cinqüenta anos da descrição da estrutura da molécula de DNA. Um dos principais motivos de comemoração, no entanto, é que neste mesmo ano foi finalizado o seqüenciamento do genoma humano. Embora haja muitos motivos para comemorar, muito já se sabia sobre o DNA. Antes de se completar esse seqüenciamento. Por exemplo: quanto de DNA existe em um conjunto de cromossomos? A resposta a essa questão não dependeu da finalização do seqüenciamento: uma célula humana normal contém dois metros de DNA distribuídos em seus cromossomos.

The eternal molecule In: Nature, 23/1/2003 (com adaptações)

QUESTÃO 5
Considerando o texto II, julgue os itens subseqüentes.
(2) De acordo com o texto, o código genético humano foi finalmente desvendado em 2003.

Adivinhe qual foi o gabarito oficial? ERRADO. Por quê? Porque o código genético foi desvendado nos anos 60. E não é uma exclusividade do homem. Ele é praticamente universal.

O código genético é relação entre trincas de bases do DNA ou do RNA mensageiro com aminoácidos a serem usados para a produção de proteínas. Segue abaixo o motivo de tanta discórdia.

2a base

U

C

A

G

1a

base

U

UUU (Phe/F) Fenilalanina

UUC (Phe/F) Fenilalanina

UUA (Leu/L) Leucina

UUG (Leu/L) Leucina

UCU (Ser/S) Serina

UCC (Ser/S) Serina

UCA (Ser/S) Serina

UCG (Ser/S) Serina

UAU (Tyr/Y) Tirosina

UAC (Tyr/Y) Tirosina

UAA Códon de parada

UAG Códon de parada

UGU (Cys/C) Cisteína

UGC (Cys/C) Cisteína

UGA Códon de parada

UGG Triptofano

C

CUU (Leu/L) Leucina

CUC (Leu/L) Leucina

CUA (Leu/L) Leucina

CUG (Leu/L) Leucina

CCU Prolina

CCC Prolina

CCA Prolina

CCG Prolina

CAU (His/H) Histidina

CAC (His/H) Histidina

CAA (Gln/Q) Glutamina

CAG (Gln/Q) Glutamina

CGU (Arg/R) Arginina

CGC (Arg/R) Arginina

CGA (Arg/R) Arginina

CGG (Arg/R) Arginina

A

AUU (Ile/I) Isoleucina, Start

AUC (Ile/I) Isoleucina

AUA (Ile/I) Isoleucina

AUG Metionina (códon de iniciação)

ACU Treonina

ACC Treonina

ACA Treonina

ACG Treonina

AAU Asparagina

AAC Asparagina

AAA (Lys/K) Lisina

AAG (Lys/K) Lisina

AGU (Ser/S) Serina

AGC (Ser/S) Serina

AGA (Arg/R) Arginina

AGG (Arg/R) Arginina

G

GUU (Val/V) Valina

GUC (Val/V) Valina

GUA (Val/V) Valina

GUG (Val/V) Valina, Start

GCU (Ala/A) Alanina

GCC (Ala/A) Alanina

GCA (Ala/A) Alanina

GCG (Ala/A) Alanina

GAU Ácido aspártico

GAC Ácido aspártico

GAA Ácido glutâmico

GAG Ácido glutâmico

GGU (Gly/G) Glicina

GGC (Gly/G) Glicina

GGA (Gly/G) Glicina

GGG (Gly/G) Glicina



Estou de olho, pessoal!




Comentários

rejane disse…
Olá Marcello
obrigada pelo comentário sobre o código genético, pois ele me ajudou a diferenciar algumas das informaçoes que eu ainda tinha uma ou outra dúvida. Mas afinal, o código genético é apenas a interação entre essas trincas de bases nitrogenadas e os aminoácidos para a formação de protéinas, ou há alguma outra função relacionada a ele que possa ter levado a imprensa à afirmação incorreta?
Desde já agradeço.

Postagens mais visitadas deste blog

Insetos e aracnídeos: uma confusão evitável

Lista de exercícios - biologia