Postagens

A ESCOLA MORREU

Hoje em uma entrevista que dei, perguntaram-me:
qual o papel da escola? Olhei para o lado, pesquisei no meu cérebro onde estava essa informação. Tratei de recorrer aos vinte e cinco anos de profissão, desde de março de 1992, quando comecei. Atravessei diversos lugares na minha anamnese; locais públicos e privados. Passei nas minhas lembranças por todos os níveis: ensino médio, ensino fundamental, graduação, pós-graduação. Relembrei muita coisa e nada que oferecesse uma resposta. Coloquei-me então no papel de aluno e tornei a fazer a busca encefálica. Diante de tanto vazio, de silêncio, enquanto a entrevistadora esperava, não pude mais hesitar em responder: não há nada mais que a escola faça que não possa ser feito sem ela. A escola não tem mais o monopólio de sua função, seja ela qual for. Sobreveio-me então a dúvida seguinte:
então para que (ou quem) ela existe mesmo?
Por que pagamos por ela?
Por que gastamos com ela?
Por que procuramos uma solução para ela há tanto tempo?
Por que nos sub…

Vírus, viroides e príons

A maioria dos biólogos acredita que os vírus não são seres vivos, são entidades que estão entre partículas supramoleculares e uma célula, sendo mais que uma e menos que a outra. Esse fato se deve sobretudo a sua incapacidade de ter metabolismo próprio e se manter viável quando sua prática metabólica é zero. Todos os vírus são parasitas intracelulares, ou seja, se alojam e exploram as células internamente. Usam da maquinaria celular para se reproduzirem, serem liberados e atingirem novas células hospedeiras. Os vírus são estruturalmente um ácido nucleio circundado por uma capa proteica (capsídio). Esse ácido nucleico é o seu material genético, podendo ser DNA ou RNA. Essas moléculas podem ser simples ou duplas. Em função disso, são divididos taxonomicamente em seis grupos (de I a VI). Apesar de evidências de sua existência ainda no século XIX, foi apenas com Wendell Stanley em 1935 que foi isolado pela primeira vez. Em 1950, foram observados pela primeira vez com o uso do microscópio e…

NEODARWINISMO

A teoria sintética da evolução ou neodarwinismo foi formulada por vários pesquisadores, durante anos de estudos, tomando como essência as noções de Darwin sobre seleção natural e incorporando noções de Genética. Foi formulada entre os anos de 1936 e 1947. Os nomes mais importantes foram os de Ernest Mayr (1904-2005), Theodozius Dobzhansky (1900-1975), Ronald Fisher (1890-1962), John Haldane (1892-1964), Sewall Wright (1889-1988), Julian Huxley (1887-1975), George Stebbins (1906-2000), George Simpson (1902-1984) e Bernard Rensch (1900-1990). A teoria sintética considera, conforme Darwin já havia feito, a população como unidade evolutiva. A população pode ser definida como grupamento de indivíduos de uma mesma espécie que ocorre em uma mesma área geográfica, em um mesmo intervalo de tempo. Para melhor compreender essa definição, é importante conhecer o conceito biológico de espécie: agrupamentos de populações naturais, real ou potencialmente intercruzantes e reprodutivamente isolados de…

Sobre o sistema e o suicídio

Alguns acham que não há ligação, que o sistema educacional não é co-responsável Outros preferem duvidar da informação, acham que é lenda urbana Outros, não se importam E vidas são perdidas O assunto é sério Ontem, mais um aluno da graduação da Universidade de Brasília se suicidou, após ver as notas no sistema da UnB. Foram três suicídios em único semestre no mesmo curso. Relatos informais apontam que mais da metade dos alunos do curso são usuários de anti-depressivos e/ou ansiolíticos. Precisamos discutir a fundo a questão. No Brasil, esse tipo de morte aumentou em 34% nos últimos dez anos. E o pior: segundo a OMS, 90% dos suicídios são evitáveis!!! PRECISAMOS EVITÁ-LOS!!! MÃOS À OBRA!!! Temos dados que mostram que FALAR sobre o tema não é um estímulo para o ato do suicídio, bem como falar de camisinha não é estímulo para ter relações sexuais. É diante de não-histórias como essas que marcadamente sofremos com o moralismo retrógrado e o estereótipo fatalista e teleológico da vida. Por…