Problemas respiratórios

    Mal da altitude

    O ar rarefeito. Um problema. A pressão parcial do oxigênio é baixa o que dificulta a ocorrência de hematoses nos alvéolos. A condição para a penetração de oxigênio nos capilares pulmonares é a diferença favorável de pressão. Nas grandes altitudes, os primeiros momentos são de aflição. O ar falta e os movimentos respiratórios disparam. Após aproximadamente uma semana, o indivíduo tem a sensação minimizada devido ao aumento do número de hemácias. Isso compensa a dificuldade de obtenção do O2. Nos Andes, a população local recomenda o uso do chá de coca, uma droga sabidamente estimulante. A aceleração cardíaca promoveria uma "distração" para o desconforto atmosférico.

    Os alpinistas sofrem ainda mais...

    O monóxido de carbono

    Gás incolor e inodoro liberado pela combustão incompleta. Uma vez inalado, combina-se com a hemoglobina formando um composto estável chamado de carboxiemoglobina (HbCO). Uma grande quantidade de CO absorvida pelo corpo pode provocar hipóxia (baixa quantidade de oxigênio circulante) pelo bloqueio do mecanismo de transporte do oxigênio. As situações de socorro aos intoxicados exige a utilização de oxigênio puro que reverte a ligação molecular danosa ao organismo. São especialmente afetados pessoas que cheiram a fumaça em incêndios.

    Tuberculose e pneumonia

    A tuberculose é causada por uma bactéria, o bacilo de Koch, e adquirida pelo ar. Causa sérios danos aos pulmões, ocasionado pus e sangramento. O tratamento é feito com antibióticos. O tratamento é longo podendo durar seis meses. A prevenção é feita por meio de vacinação pública (vacina BCG, aquela que deixa uma marca no braço).

    A pneumonia é causada por muitos organismos, como bactérias, vírus e até vermes (como a lombriga e o ancilóstomo). Trata-se de uma infecção de média gravidade em que há produção de muita secreção pulmonar. Os sintomas são febre alta, mal estar, falta de ar e tosse com catarro. O tratamento é feito com antibióticos.

    Enfisema pulmonar

    Doença progressiva sobretudo associada com o hábito de fumar. Nessa doença, ocorre uma dilatação dos alvéolos o que os torna deficientes na troca gasosa (hematose). A doença é irreversível e os procedimentos visam apenas dar alguma qualidade de vida ao paciente.

    Tabagismo

    O cigarro, além do enfisema, provoca danos aos cílios da traquéia e dos brônquios. Esses cílios removem o muco pegajoso. O muco é importante para contenção de partículas que invadem o trato respiratório. Quem fuma tem menos cílios e eles ainda são mais lentos.

    O cigarro possui entre 60 a 100 substâncias consideradas cancerígenas. Essas substâncias agem no sistema respiratório e em outros, alterando geneticamente células e transformando-as, com o tempo, em células tumorais.


 

    Asma

    Doença de base inflamatória que causa o estreitamento das vias respiratórias. Os asmáticos necessitam de gatilhos para a ocorrência das crises. Pólen, mofo, poeira, pêlo de gato, alterações climáticas são alguns deles. É tratada com broncodilatores e antiinflamatórios.


 

    

Comentários

Nathan disse…
Ótimo tópico Professor, claro e objetivo.
rejane disse…
concordo com você Nathan.
Marcello, você foi muito feliz nesta postagem. Objetiva e clara para todos.

Postagens mais visitadas deste blog

Insetos e aracnídeos: uma confusão evitável

Lista de exercícios - biologia