SÉRIE ENEM: ESQUISTOSSOMOSE

A esquistossomose é também conhecida como barriga d'água ou doença de Manson-Pirajá. É uma doença endêmica do Brasil, ocorrendo em vários estados brasileiros. Infelizmente, não há vacina para ela e tudo que se pode fazer é prevenção por manejo e informação. 
O causador da doença é um verme do filo platelminto, da classe trematoda. Os platelmintos são vermes achatados que incluem também as planárias e as tênias. A espécie causadora é a Schistosoma mansoni. O verme apresenta dois hospedeiros, um intermediário e outro definitivo. O hospedeiro intermediário é um caramujo planorbídeo, do gênero Biomphalaria. O hospedeiro definitivo é a espécie humana. O esquistossomo é disperso por ovos nas fezes humanas de um indivíduo contaminado. Esses ovos, ao atingirem a água, eclodem, liberando uma larva chamada de miracídio. O miracídio penetra no caramujo e permanece por 30 dias no seu interior. Cada miracídio é capaz de produzir até 10.000 larvas chamadas de cercárias. As cercárias saem do caramujo e nada ativamente a espera de seu novo hospedeiro. Ao encontrar a pele humana, penetra através das células atingindo a circulação. A região de penetração apresenta coceira e dermatite características. Alojará definitivamente na veia porta-hepática. Nessa fase, podem ocorrer complicações como processos inflamatórios que caracterizam a hepatoesplenomegalia. Ao liberar novos ovos no intestino, o ciclo da doença se completa.
As formas de prevenção estão no isolamento dos focos, controle da população dos moluscos (caramujos), saneamento básico, informação para a população para evitar nadar em locais contaminados e procurar ajuda hospitalar.
Esquistossomose: se nadou e depois coçou, é porque pegou.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Insetos e aracnídeos: uma confusão evitável

Lista de exercícios - biologia