terça-feira, outubro 16, 2007

Tropa "da" elite

    Chega-se ao fim do filme com a convicção do Capitão Nascimento: missão cumprida. Onde será que há Biologia nisso tudo para eu, um biólogo disposto a achar minha disciplina em tudo, estar tratando do filme aqui?

    Evolução. Aí está a relação. Seleção natural. Sobrevivência do mais apto. Quem disse que a espécie humana estava isenta disso?

    A tropa de elite é um destacamento de bons policiais, incorruptíveis segundo a ótica do filme. Devem ganhar melhor que os 800 reais que o policial comum ganha na cidade do Rio de Janeiro. Não estou sendo irônico. No filme de José Padilha, os policiais comuns são humilhados pelo Capitão Nascimento (na pele do muito bom ator Wagner Moura) quando eles chegam para salvar uma viatura cercada no alto do morro. Ele grita para os de farda azul "Ninguém sobe! Todo mundo quietinho aí!" Humilhante. Estão ali, os guerreiros do BOPE – de farda preta - para garantir a segurança a qualquer custo, truculentos e torturadores, fazem bem o seu papel: o de proteger alguns e matar outros. Não se trata de deriva genética. Os que são mortos, não são aleatoriamente qualquer um. São favelados, são pobres, são marginais com toda a ambigüidade da palavra. Mortos em nome de quem?

    Os soldados do BOPE defendem a elite, sim. A parcela dos excluídos não tem defesa. Estão acuados dentro de barracos, lado a lado com os alvos da artilharia bem treinada da Tropa de Elite. Mas e os bandidos? Eles não existem? A obra é tão ficciosa assim? Professor, você está fazendo apologia ao crime? Nada disso. Entendam, tudo é darwinismo puro. Sem água, sem aditivos, sem conservantes. Cristalinamente, para quem quiser ver. Não há condições de convivência entre os grupos, vítimas de tantas causas que não cabem aqui discuti-las por conta de minha tórrida incompetência sociológica e antropológica. Não quero discutir essa questão. Parto da premissa pronta: há dois grupos e o BOPE existe apenas para um dos lados. Um grupo ameaça a existência de todos. Ele deve deixar de existir. É a lei de Sir Charles, sentenciosa, implacável. Essa guerra só terminará quando não houver oponentes, essa guerra só acaba quando a favela acabar. Alguém tem dúvida disso? Pergunte ao morador da cidade do Rio de Janeiro. Eles temem a favela, indistintamente. Mas é a alegoria da insensatez: quem vive fora dela financia a polícia, ao mesmo tempo que financiam o tráfico. No filme, uma fala é marcante. O capitão Nascimento no alto do conhecimento do problema diz: "Você que compra a droga é que financia o tráfico no morro" para um garoto "zona sul", viciado e destemido, subindo o morro para comprar seu alucinógeno ou seu estimulante. Quem disse que não estamos sob fogo cerrado dos canos silenciosos de Darwin? Não há espaço (diria, renda) para todos. Sobrevivência do mais apto (ou daquele que tem mais oportunidades?). E eu pergunto (e não ouso responder): tem outro caminho?

12 comentários:

Karla disse...

é....não acredito que tenha outra forma....

nós, como bons humanos, muuuuuito superiores a tudo isso gostamos de acreditar que essas "leis da selva" não nos atingem....até por que com os avanços tecnológicos fugimos dela um pouco....

mas acontece....e na verdade....seria melhor se fosse mais presente....eu seria capaz de dizer que a maioria dos problemas que enfrentamos hoje em dia é por fugirmos dessa seleção natural...

Jú disse...

Bom artigo, Marcelo.
Passei no último vestibular da UnB para Ciências Sociais (Sociologia/Antropologia) e a questão,antes debatida por poucos, parece agora atingir a sociedade de forma mais abrangente. E isso é enriquecedor, uma vez que independente da área, todo conhecimento - e não somente o academicista, científico - tem valor e contribui para uma tendência que parece predominar atualmente: a de que determinado assunto é objeto de estudo de uma área específica do saber humano. O que na minha mera opinião é errado, uma vez que a vida não é compartimentada.
Enfim... mesmo tendo passado na UnB, continuo acompanhando o seu blog, sempre com assuntos interessantes.
:*

professor lasneaux disse...

Obrigado pelos comentários!

professor lasneaux disse...

Obrigado pelos comentários!

Anônimo disse...

Pô, a respeito da enquete...é muito importante um professor bom, porque as vezes a gente nem gosta da matéria e passa a gostar so pelo professor.. Você é um desses professores que faz o aluno gostar da matéria só porque é um professor show de bola!!! Muuuito bom mesmo =)

professor lasneaux disse...

Muito obrigado pelas palavras. É sempre bom saber que o nosso trabalho tem algum resultado apesar de todo tipo de crítica e, às vezes, indiferença, como percebe-se pela enquete.

Anônimo disse...

bons professores como vc e os outros do galois sao muito importantes, pois livros de ensino medio, geralmente, nao passam de copias uns dos outros. quando um assunto nao esta muito claro em um,normalmente, tb nao o estara em outros. a visao simplificada de vcs nos ajudam muito nessas horas. pena que poucos tem acesso a vcs, mas esse blog jah eh um avanço nessa questao.

Karla disse...

Bem....a importancia do professor....eu acredito....é em tornar a matéria interessante...

pq isso faz toda a diferença....se você consegue ver algum motivo pra aprender aquilo...nem que seja pra saciar sua curiosidade.....isso já vai facilitar muito seu aprendizado e seu entendimento da matéria

Ronan Sakayo disse...

Eu li o seu texto, entendi seus argumentos, mas no meu ponto de vista, essa analogia entre o funcionamento da sociedade e o Darwinismo não está muito coerente. Por serem assuntos tão distintos, creio que você acabou extrapolando as relações entre os dois para achar algo em comum.

Afinal de contas, o ser humano tem o hábito de estudar a natureza colocando-se fora dela. Creio que se tratando de Darwinismo, o ser humano realmente esteja fora desse processo, mas, claro, entendo que você quis fazer uma analogia.

Quanto a importância do professor para o aprendizado de biologia, acredito que seja imprescindível. Apesar de terem bons livros de 2º grau, a forma de passar a matéria para o aluno, as dicas de vestibular, as curiosidades, a própria vivência do professor compartinhala com os alunos, tudo isso é fundamental. Salvo raríssimas excessões de alunos "auto-ditadas".

A importância do professor na biologia é algo indiscutível, acredito que nessa enquete, por você ser um professor sempre bem humorado, os alunos tenham "brincado" um pouco. Mas continue assim, gosto muito da sua aula, você realmente domina muito bem seu conteudo e sabe passa-lo de forma humorada, o que é muito imortante para atrair a atenção do aluno.

Camila disse...

Olá, professor gostei muito do artigo sobre o filme!!!!
Talvez nós estejamos vivendo um darwinismo forçado...onde os seres humanos que se acham "superiores" querem acabar com os mais "fracos", que não têm as mesmas condições e forças de se defenderam, brigarem por uma meta...e podem acabar seguindo pelo caminho "errado", mas quem sabe não podemos tentar a amenizar a situação?!
Ah e continue esse professor maravilhoso que vc é....nos mostrando um lado bem humorado e interessante da biologia!!!

professor lasneaux disse...

Obrigado pelos comentários. Bons estudos.

Anônimo disse...

Bem...pra todos que acreditam que estamos fora dessa realidade "animal"....

um video....biologicamente errado em diversos aspectos....mas....é uma boa reflexão.

http://www.youtube.com/watch?v=oK2abk81TzY


tão bom estar fora desses moldes...talvez seja por isso que estamos acabando com o mundo.