terça-feira, abril 17, 2007

Células-tronco: novidades intrigantes

    Os benefícios do uso das células-tronco parecem não ter fim. As possibilidades fazem com que fiquemos até assustados em alguns casos e deslumbrados em outros.

    As células-tronco são células com capacidade de se diferenciar em outros tipos celulares. São células versáteis, algumas mais outras menos. As de maior potência são as pluripotentes. As de menor, unipotentes. Existem ainda as multipotentes e as oligopotentes. Tudo é uma questão de estudá-las. E sempre há novidades.

    Thierry Henry ficará marcado em nossa história. Um certo lateral (melhor esquecê-lo) arruma a meia enquanto o atacante francês estraga a esperança de alguns milhares e otimistas brasileiros no ano passado. Pois é. Lembraremos desse desastre por algum tempo. Sir Henry – atualmente na Inglaterra – está nesse texto por outro motivo. Armazenou em um dos sete bancos de células-tronco britânicos, células do cordão umbilical de seu filho. Essas células são tronco adultas mas podem servir para muitos reparos. Em seu filho e talvez nele mesmo. Uma lesão em um ligamento, um tendão ou osso poderá receber uma injeção "milagrosa" de células de seu bebê, cheio de patrimônio genético do papai para que recupere perfeitamente seus cambitos. Allez, France!

    Em terras brasileiras, nossos cientistas trabalham cheios de esperança e só. No interior de São Paulo, pacientes receberam células-tronco para o tratamento de um problema cardíaco histórico: a Doença de Chagas. Transmitido pelas fezes do barbeiro, o protozoário Trypanosoma cruzi se aloja no coração produzindo "cardiomiopatia dilatada crônica". O coração grande (no interior é chamado de "coração-de-boi") pulsa lento, difícil. A morte sobrevém subitamente. Mas no meio do caminho existem nossos incríveis médicos e sua intrépida teimosia em fazer ciência ao sul do Equador. Injetaram células-tronco em portadores da moléstia que comprovadamente atingiram o coração enfraquecido dos voluntários doentes. Em um ano saberão o quanto significou isso para a saúde deles.

    A última notícia vem da Alemanha. Espermatozóides da medula? Pode ser verdade. Um grupo de pesquisadores conseguiu obter espermatogônias de células-tronco da medula óssea de seres humanos. Truques em meio de cultura induziram as células multipotentes medulares a se diferenciar em espermatogônias, células germinativas diplóides. A dificuldade seguinte (ainda sem solução) é induzir nas espermatogônias duas etapas decisivas para a obtenção do gameta: o crescimento e a meiose. Assim, chegar-se-ia à espermátide, e mais um degrau ter-se-ia um espermatozóide. É uma perspectiva e tanto. Muitos homens estéreis poderiam ter espermatozóides para fecundação in vitro. Fico pensando. Será que as células da medula de uma mulher também poderiam ser convertidas em espermatozóides? E dos homens em ovócitos? Qual o artifício que impede a espermatogônia de se comportar como ovogônia e vice-versa? Há tanta novidade... Quem sabe?

4 comentários:

Marii disse...

Sinto que alguém está carente de comentários!! huahuahua Mas óh, eu tô lendo todos os textos viu! Não se sinta só!! huahauhauhua :*

Anônimo disse...

Muito legal esse texto sobre as Células-tronco. Bem imformativo!

BCU Brasil - BH disse...

Parabéns pelo texto! Temos que divulgar os avanços para criar, no Brasil, a cultura de armazenamento de células tronco do cordão umbilical e garantir esperança aos nossos bebês!

Seadog disse...

Haa, como gostaria de estar vivo e desfrutar deste plantel. Poder renovar tudo em meu corpo fisico, bastando passar em qualquer farmácia...