Os sete mandamentos da prova discursiva

Muitos dependem de escrever nos vestibulares. Fora a redação, muitas provas exigem escrita para resolver questões das várias disciplinas. É o caso de provas com segunda fase e algumas de primeira fase ou fase única, como na UnB.
Penso que daqui por diante, seguem-se dicas, que podem ser preciosas.

Seja higiênico (com todo respeito)
Pode apostar: ninguém gosta de ambiente poluído, sujo. Não faça de seu espaço de resolução uma pocilga. Procure não errar, procure escrever primeiro a lápis. Se errar a caneta, faça um traço simples (alguns lugares sugerem colocar o erro entre parênteses, além de riscá-lo). Não espalhe fiapos de folha e tinta para todo lado - tentando apagar o erro: não rasure. Ah! E nem outros subterfúgios para anular ou reescrever o trecho errado porque a banca pode entender como um sinal para o corretor da banca. Isso poderá até eliminá-lo do certame.

Sem neologismos
Não é hora de inventar. Você está sendo avaliado. Hoje eu estava corrigindo uma prova e o aluno sapecou: “paralisamento” do sistema nervoso. Fiquei assustado. Será que existe tal vernáculo? Procurei no meu guru das palavras estranhas, o sítio da Academia Brasileira de Letras (http://www.academia.org.br/) e então respirei aliviado: a palavra não existe. Não invente; nessa hora, imite. Depois de escrever, tente imaginar se alguém que você conheça ou mesmo algo que tenha lido apresentou em algum momento a palavra escolhida. Está em dúvida? Mude.

Não seja um círculo vicioso
Na ausência de inspiração, vem as bobagens. O enunciado é repetido, as ideias são cíclicas e a paciência do corretor encurta rapidamente. Seja objetivo. Não gaste tempo revolvendo o óbvio, o já dito na questão. Não vaia adiantar nada.

A vida não é um romance de Dan Brown 

A banca não é um personagem do autor do Código da Vinci, pronto para decifrar seus pergaminhos. Pelamordedeus!! Escreva legível! Quem tem a letra feia, garranchada, irregular, hieroglifada, criptografada, trate de fazer alguma coisa rápida a respeito. Tente caderno de caligrafia, yoga, acunpuntura e cinema novo.

Cada um no seu quadrado
A banca examinadora é organizada e metódica. Ela dispõe um espaço para resolução da questão. Utilize apenas o que foi oferecido. Não deixe recados implorando que os olhos do corretor saiam da área prevista, rastreando as pistas de sua resposta pela prova.

Não desafie a bela e inculta
Todos erramos muito (estou aqui dentro!!). Nossa língua é complexa. Entretanto, temos que nos esforçar gramaticalmente. É fundamental a concentração nas aulas de português para evitar equívocos frequentes como “apartir”, “atravez”, os usuais erros do emprego do “por que”, os erros de concordância verbal e nominal, para citar alguns dos mais comuns.
Não blasfeme!
Bom, sem saber a respeito do que você está escrevendo, realmente vai ficar difícil. Prestou atenção nas aulas dos seus professores? Estudo sozinho? Fez novas questões? Fez os simulados que foram propostos? Tirou suas dúvidas? Dedicou-se horas às diversas disciplinas? Então, você tem munição. Não se preocupe. 
Siga as setas que você chega ao destino.
Boa prova para todos.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Insetos e aracnídeos: uma confusão evitável

Lista de exercícios - biologia