Distúrbios do sistema cardiovascular

  1. Hipertensão

Apesar de também ser chamada de pressão alta é evidente que não são exatamente sinônimos. Uma pressão alta repetidas vezes confere o diagnóstico de hipertensão. A pressão alta é dada quando:

pressão máxima maior que 14 (140mmHg)

pressão mínima maior que 9 (90mmHg)


A recorrência da pressão alta pode levar a um enrijecimento dos vasos e sérias dificuldades circulatórias no futuro.

Há vários fatores associados à hipertensão:

  1. idade;
  2. genéticos;
  3. obesidade;
  4. diabetes;
  5. colesterol ruim (LDL) ("low density lipoprotein");
  6. ingestão de sal;
  7. ingestão de gordura trans;
  8. estresse (a adrenalina é vasoconstritora);
  9. sedentarismo;
  10. fatores étnicos (pessoas negras têm uma incidência maior);
  11. tabagismo;
  12. abuso de álcool.

As recomendações para uma boa saúde vascular são:

Exercício!

Uma dieta saudável!

Garanta o HDL (colesterol bom) alto. Para isso, use o azeite extra-virgem nas saladas, não consuma gordura trans e coma sardinha e salmão de vez em quando! Pratique esportes!

Nada de beber e de fumar!

(pedir para não se estressar vai adiantar?)

2. Aneurisma

A palavra significa "alargamento". Dilatação arterial de causa atribuída a fatores genéticos e alguns facilitadores como tabagismo, inflamações, traumatismos e certas doenças (como a sífilis). O alargamento do vaso característico do aneurisma é assintomático. No entanto, a área é fragilizada e poderá romper ocasiando perda de sangue e risco de morte.

3. Acidente Vascular Cerebral (AVC)

Queda na circulação geral do cérebro. Essa diminuição do fluxo de sangue ocasiona perda de alguma função neurológica como dificuldades visuais e na fala (afasia), confusão mental e inconsciência.

Há dois tipos de AVC:

a) Isquêmico

Deve-se a uma obstrução de um vaso cerebral. A diminuição da passagem do sangue pelo vaso provoca a indisponibilidade de oxigênio para os neurônios.

b) Hemorrágico.

É conhecido como derrame. Há derramamento de sangue porque um vaso se rompeu.

4. Infarto do miocárdio.

Muitos acreditam que "infarto no coração" é uma redundância. Não é. O infarto é a morte de um tecido devido a uma falha grave no suprimento sangüíneo e, conseqüentemente, na oferta de oxigênio (isquemia). Especificamente no coração, há uma obstrução ainda que parcial das artérias coronárias. As coronárias irrigam o coração superficialmente com sangue arterial.

O infarto é precedido de um desconforto peitoral. Essa dor irradia-se principalmente para o lado do braço esquerdo. É possível que essa dor não signifique exatamente o infarto. O paciente deve ser investigado e suas obstruções devem ser reparadas.

As soluções para as obstruções coronarianas são:

a) Angioplastia

Uso de um cateter introduzido pelos vasos do paciente para que insufle um balão na área obstruída melhorando a circulação na região.

b) Colocação de um stent

Aplicação de uma mola metálica que dilatada e se acomoda definitivamente na área obstruída, melhorando a passagem de sangue.

c) Cirurgia de revascularização (Bypass ou Ponte de safena)

Uso de um outro vaso do próprio paciente para criar um "atalho" para o sangue contornar a região obstruída. Podem ser usados a veia safena (da perna) ou artérias do braço (radial) e do peito (mamária).

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Insetos e aracnídeos: uma confusão evitável

Lista de exercícios - biologia