quinta-feira, março 20, 2008

Você acredita em ET?


É comum a dúvida, assim como é comum o pensamento. As pessoas vivem de articular o que observam consigo mesmo e gerar uma "realidade" própria: são suas convicções. Partem de várias experiências para isso. É possível acreditar em "vacina do sapo", cirurgias por médicos mortos, assombrações e vida extraterrestre. Alguns mais que acreditam, tem histórias para contar. Nos Estados Unidos, em pesquisa realizada em 1992 pelo Instituto Roper feita com quase seis mil norte-americanos revelou a incrível quantia de que 2% dos entrevistados tinham sido raptados mais de uma vez por extraterrestres inteligentes. Façamos algumas contas. Isso significa 120 entrevistados. Bom, imaginando que ser seqüestrado por ETs não seja uma exclusividade dos americanos, temos que 120 milhões de terráqueos já foram levados em espaçonaves pelos céus de todo o planeta! Mais da metade da população brasileira! É um dado preocupante...
A idéia de origem da vida fora do planeta, é antiga. Chama-se panspermia. Há duas panspermias: a cósmica e a dirigida. A cósmica diz que o planeta foi infectado por formas simples de vida que penetraram na atmosfera a bordo de um meteorito. Essa idéia remete a outro planeta a origem da vida. A panspermia dirigida é a idéia de que a vida foi semeada intencionalmente na Terra. Ganhou adeptos interessantes ao longo dos tempos, como o prêmio Nobel Fracis Crick (Medicina e Fisiologia), um dos homens do DNA. O tema recorre e alimenta as expectativas e o imaginário das pessoas. Ganha publicações, ganha espaço e gera turismo. Algumas cidades, inclusive no Brasil, ganham fama pelas "aparições". São os casos da Chapada dos Veadeiros (GO), Varginha (MG) e Conservatória (RJ). Acontece que as documentações são todas fracas, altamente questionáveis e baseadas em depoimentos isolados, contraditórios e repletos de incoerências. Vida fora da Terra é comparável, no momento, com a chance de encontramos Hitler ou Elvis Presley na rua. Seria legal descobrir que o homem não foi à Lua? É teoria da conspiração. Ou não? É sedutor pensar nisso, não é? E o cinema agradece.

Nenhum comentário: