terça-feira, janeiro 29, 2008

Virou o sangue!

As células-tronco não param de nos surpreender. Na última semana, algo raríssimo estava no ar assombrando o mundo todo: uma garotinha australiana recebeu um transplante e o tipo sangüíneo mudou! Talvez, fosse um pouco menos extraordinário se o transplante fosse de medula óssea, uma vez que apresenta células precursoras do sangue mas o transplante foi de fígado. De fígado.

Ora, bolas! O que houve na paciente então? Células do fígado conseguiram mudar o tipo sangüíneo da receptora? A resposta é sim. E a justificativa está naquela célula que é um show de versatilidade, que joga em todas as posições (ou em quase todas), o sonho de todo treinador: a célula-tronco.

Aparentemente, todos os tecidos do corpo contam com células-tronco. Entretanto, em alguns lugares elas são mais abundantes. Algo tão fascinante do nosso "atleta" versátil é que ele ainda tem uma sensibilidade inacreditável. Além dele se transformar vários tipos celulares, ele sabe qual o tipo celular está em falta. Assim, células-tronco presentes no fígado transplantado migraram para a medula óssea para superar algum problema em curso. As células sadias que partiram do fígado de outrem, se transformaram em outras células-tronco e em células sangüíneas, como as hemácias. Todavia eram hemácias segundo a condição genética do doador, no caso, diferente da mulher que o recebera. Pronto. O sangue O negativo virou espantosamente sangue O positivo.

Essas células-tronco... Tá precisando de algumas, Corínthians?

6 comentários:

Karla disse...

O mais lindo da biologia é que ela nunca para de nos surpreender!

henrique disse...

haha,vc ñ perdoa os corintianos....

muito show essa descoberta!

Itanúsia disse...

oi!!!Tava c/ saudades das suas comparações nada usuais!Apesar de biologia ñ ser minha matéria preferida,sinto falta das suas aulas....Agora,vou ter q me virar c/ Economia....mas vou sempre dá uma olhada nos seus textos=)

Anônimo disse...

Lasneaux, mas porque então não houve uma incompatibilidade entre o sangue antigo e o novo tipo sanguíneo?

Anônimo disse...

É, eu sei q é velho esse texto, mas a itanúsia comentou comigo e eu fiquei curiosa. Impressionante o q aconteceu com a paciente. Agora, voltou o dilema da lei d biossegurança, será q dessa vez conseguimos acabar com essa questão de uma vez por todas? Beijo.

Anônimo disse...

FAN-TÁS-TI-CO !!!!